quarta-feira, 14 de junho de 2017

Kawasaki renova Ninja 1000 e Ninja 650 no Brasil

Ambas ganharam visual repaginado. Ninja 650R recebeu novo chassi e ficou 15
kg mais leve, enquanto a 1000 foi equipada com mais sistemas eletrônicos.

Publicado no Portal G1 em 14/06/2016
A Kawasaki renovou duas de suas motos da linha Ninja no Brasil. Para os modelos 2018. Ninja 1000 e Ninja 650 receberam importantes mudanças com novidades no visual para ambas. De acordo com a empresa, as vendas já começaram e as primeiras unidades chegam às lojas no final de julho.
Veja os preços: Ninja 650 ABS: R$ 33.990 (preta); Ninja 650 ABS Special Edition (misto de verde e preto); Ninja 1000 ABS: R$ 56.990 (preta); Ninja 1000 Tourer ABS: R$ 59.990 (misto de verde e preto)

A Ninja 650 ficou com uma estética bem mais esportiva, lembrando a ZX-10R. A exemplo de sua irmã Z650, a motocicleta recebeu novo chassi o que rendeu um peso 15 kg inferior. O modelo adotou novo quadro de treliça e abandonou a suspensão fixada lateralmente da versão anterior.

Seu peso agora é de 193 kg. Também mudaram os desenhos da carenagem, tanque, assentos, rabeta, bolha dianteira e espelhos retrovisores. O modelo também ganhou embreagem assistida e sistema deslizante, que evita o travamento da traseira na redução de marchas, além de novo painel, com indicador de marcha e shift-light.

No entanto, para se adequar às regras de emissões, o motor, que se manteve o mesmo bicilíndrico de 649 cc, perdeu potência. Ele passou de 72 cavalos para 68 cavalo, mas, por outro lado, o torque aumentou de 6,5 kgfm para 6,7 kgfm.

De acordo com a empresa, a entrega de força ficou mais linear no motor do modelo 2018, além de o torque máximo chegar mais cedo, a 6.500 rpm. Como benefício, a moto teria ficado 6,8% mais econômica.
Apesar de não tão profundas como na Ninja 650, a Ninja 1000 também recebeu mudanças no visual, ganhando novo desenho em seu farol dianteiro, que agora é de LED.

E agora se junta ao freio ABS, controle de tração e modos de pilotagem, o sistema KCMF (Kawasaki Cornering Management Function), que auxília o motociclista nas curvas, evitando quedas.
O motor segue o mesmo 4 cilindros de 1.043 cc e 142 cavalos de potência.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

“Musa”da Silva segue na liderança no Brasileiro de Enduro FIM

Vinicius "Musa" da Silva

Piloto mineiro do Team Rinaldi confirma o segundo lugar da categoria Júnior na quarta etapa, realizada em Aracruz (ES)

Fonte: Mundo Press
Vinícius da Silva “Musa” foi o segundo mais rápido da classe EJúnior na quarta etapa do Campeonato Brasileiro de Enduro FIM. A prova valeu como rodada dupla na cidade de Aracruz, no Espírito Santo, e terminou neste domingo (11) após dois dias de disputas. Com o resultado, o piloto mineiro do Team Rinaldi segue na liderança da categoria direcionada aos novos talentos.

“O desafio teve um Extreme Teste bastante travado e especiais técnicas. O primeiro dia foi de adaptação ao percurso e hoje ataquei mais”, relatou Musa. Ele acelerou com os pneus Rinaldi SR39 na traseira e HE40 na dianteira da motocicleta. “Os pneus são ótimos em terrenos mistos e trazem bastante confiança na pilotagem”, analisou o representante do Zanol Team Rinaldi ASW. O Brasileiro de Enduro FIM conta com o patrocínio da Rinaldi e realiza a próxima etapa nos dias 15 e 16 de julho em Nova Lima (MG).

Bananalama 2017: encontro de trilheiros em SC sorteará 5 motos

Acontecerá entre os dias 6 e 9 de julho, o evento conta com a presença da MXF Motors que sorteará cinco motos MXF 250R.

Fonte: Engenharia de Comunicação
O Bananalama é um tradicional evento que surgiu em 2004 e reúne trilheiros do país inteiro na pequena cidade de Corupá, em Santa Catarina. Neste ano, a concentração acontece no Seminário Sagrado Coração de Jesus durante os dias 6, 7, 8 e 9 de julho. As inscrições já se encontram abertas.
O Encontro de Trilheiros é considerado o maior do mundo, tendo este título sido oficializado pelo Guinness World Records em 2013, quando o evento reuniu mais de três mil motos. Em 2017 a expectativa é superar esse número, chegando a 6 mil pilotos. A média de público geral no evento é de 60 mil pessoas.

A MXF Motors do Brasil, montadora de motos off road, estará presente no Bananalama e ainda apoia o evento, sorteando cinco motos MXF 250R. “Será uma honra prestigiar o Bananalama e ainda apoiar este evento. Esta é uma grande oportunidade de divulgarmos nossa marca”, conta João Henrique Montani, proprietário da MXF Motors.

Para concorrer ao sorteio basta se inscrever antecipadamente pelo link: https://www.clicreserva.com.br/bananalama/

Haverá ainda inscrições presenciais nos dias do evento:
Quinta (06): a partir das 19h às 22h
Sexta (07): a partir das 19h às 22h
Sábado (08): a partir das 15h às 22h
Domingo (09): a partir das 06h às 09h

Para saber mais detalhes sobre a MXF 250R que será sorteada é só acessar: http://mxfmotors.com.br/produto/motocross-250cc/

SERVIÇO
Local: Seminário Sagrado Coração de Jesus
Endereço: Seminário, Corupá – SC.
Horário de abertura dos portões:
Quinta  feira: 18:00h
Sexta feira: 18:00h 
Sábado: 11;30h
Domingo: 06:00h

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Triumph Street Cup 2017:Capa retrô e interior recheado de tecnologia

Com visual de esportiva à moda antiga, moto "esconde" alta tecnologia e tem até
Imagem internet
controle de tração.

Publicado no Portal G1 em 08/06/2017
Depois de conseguir muito sucesso com sua linha de motos aventureiras, a britânica Triumph vem apostando todas as fichas em suas clássicas. Com vários modelos derivados da Bonneville, o mais divertido talvez seja a Street Cup, motocicleta que faz uma homenagem direta às café-racers.

Lançada no Brasil este ano e com preço de R$ 41.990, ela é uma clássica apenas no visual, porque por baixo de sua “pele” estão freios ABS, acelerador eletrônico, controle de tração e luz de LED na traseira, ou seja, tudo que se espera de uma moto moderna.

Pode se dizer que ela oferece o contrário dos modelos da Royal Enfield, marca também de origem no Reino Unido, mas que produz suas motos na Índia. A Royal tem modelos retrô e de tecnologia simples.
No caso da Street Cup é diferente, com pacote moderno e não deixando a desejar comparado à motos de visual “moderninho”.

Não dá para apontar uma concorrente direta da Street Cup no Brasil, pela ausência de motos parecidas e com preço similar, mas os consumidores podem encontrar traços da mesma proposta na Harley-Davidson Roadster ou na Royal Enfield Continental GT.

Mas mesmo assim, ainda existe bastantes diferenças. A Roadster, por exemplo, tem motor maior e preço mais alto, apesar de não investir tanto em tecnologia – a moto norte-americana não tem controle de tração e nem acelerador eletrônico.

O controle de tração ajuda a evitar sustos em piso escorregadio ou sujo. No chassi, a Street Cup também mantém a base de sua irmã, mas alteração no ângulo de inclinação da suspensão dianteira faz a moto flertar com a esportividade.

A Street Cup é uma moto capaz de oferecer dois mundos: tanto o de uma moto vintage, como o de uma moto tecnológica. Seu preço acaba sendo competitivo pelo que oferece, além de não ter nenhuma rival exatamente na mesma faixa de preço.

terça-feira, 6 de junho de 2017

Yamaha Star Venture é estradeira no estilo americano para brigar com a Harley

Modelo luxuoso tem tela sensível ao toque, equipamento de som, ABS e motorzão
de 1.850 cc.

Publicado no Portal G1 em 06/06/2017
A Yamaha apresentou, nos Estados Unidos, a nova Star Venture, modelo estradeiro da categoria touring que terá a missão de brigar com as Harley-Davidson dessa categoria. Ainda não há informações se a moto será vendida no Brasil.

Com porte avantajado, o modelo utiliza motorzão V2 de 1.850 cc de cilindrada e transmissão de 6 marchas, o que a torna uma concorrente da H-D Ultra Limited e da Indian Roadmaster.
O modelo tem proteção aerodinâmica caprichada e controle de velocidade de série, para um preço partindo de US$ 24.999.
Com ABS de série, o modelo possui um motor elétrico desenvolvido apenas para manobras de estacionamento da moto.

Aquecimento dos bancos, tela sensível ao toque, equipamento de som entradas USB, conexão Bluetooth e 3 compartimentos para bagagens também estão no pacote.

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Vinícius da Silva “Musa” assume liderança no Brasileiro de Enduro FIM

Vinicius Silva

Piloto do Team Rinaldi vence terceira etapa em Biguaçu (SC) e é o novo ponteiro da classe E Júnior.

Fonte: Mundo Press
Vinícius da Silva, o Musa, assumiu a liderança da classe EJúnior no Campeonato Brasileiro de Enduro FIM. O piloto mineiro do Team Rinaldi venceu os dois dias de disputas da terceira etapa, realizada debaixo de muita chuva na cidade de Biguaçu, em Santa Catarina, neste fim de semana (27 e 28).
“Por conta da chuva, o terreno ficou liso e bem esburacado. Andei com bastante cautela e deu certo, não cometi erros e consegui a vitória”, disse Musa, representante da equipe Zanol Team Rinaldi ASW. “Estava difícil para todos os pilotos. Os pneus SR39 e HE40 fizeram a diferença nas trilhas e nos deslocamentos, que estavam técnicos e com tempos apertados. Agora que cheguei à liderança, vou brigar para continuar”, garantiu.

A Rinaldi é patrocinadora oficial do Brasileiro de Enduro FIM e teve mais dois pilotos mineiros no pódio do desafio. Rigor Rico foi o terceiro colocado da E3 e ocupa a mesma colocação na tabela de classificação da categoria. Já Ronald Santi, após confirmar o quinto lugar em solo catarinense, está em terceiro lugar da E2. A dupla acelera pela equipe Sherco Brasil.

Triumph Tiger 800 é eleita a moto com maior valor de revenda na sua categoria

A Tiger 800 traz como principais diferenciais seu visual moderno, uma tecnologia
mais focada no piloto com vários itens de conforto e segurança de série, menor consumo de combustível e melhor desempenho off-road.

A Triumph Tiger 800 foi eleita a motocicleta com o maior valor de revenda em sua categoria (Big Trail até 800 cc) na segunda edição do “Prêmio Maior Valor de Revenda – Motos”, criado pela agência Autoinforme em parceria com a Textofinal de Comunicação.
A pesquisa, feita juntamente com a Molicar, considerou 138 motos zero km mais vendidas, de 17 marcas, em 17 categorias, com base nas cotações de preços praticados no mercado entre março de 2016 e março de 2017.
Neste período de um ano, o modelo da Triumph apresentou uma depreciação de somente 11,5%, o que indica que a compra do modelo é um bom negócio para o consumidor deste segmento.
“São vários fatores que explicam este bom desempenho, como, por exemplo, o posicionamento correto dos preços de peças da Tiger Explorer e também a agilidade da rede para fornecer estes itens aos clientes”, explica Cláudio Peruche, gerente de Pós-Vendas da Triumph.